3 de julho de 2013

Atualizações de uma vida nem tão agitada assim

Gente, eu tô viva! Podem comemorar!

 E meu senso de humor triste também...

Ah, se vocês soubessem... Ao contrário do que pensam, eu ando escrevendo bastante ultimamente. Mais do que de costume até. O detalhe é que eu não tenho encontrado nada, no meio disso tudo que andei escrevendo, digno de aparecer aqui no blog. A grande maioria se resume a desabafos gigantes e melodramáticos (odeio drama, mas as vezes, pelo que aparece ser um carma maldito, ultrapasso minha cota de dramas) e, quando algum era realmente bom, eram longos demais e acho que quase ninguém teria a santa paciência de lê-los. Mas quem sabe né, de repente me bate a loucura, eu posto tudo e já era haha. Quer dizer, me dói saber que tantos textos foram escritos em vão sabe, vou ter que postar pelo menos um, se não, não descanso. 


E junto com a onda de escrever, vem a onda de pensar. Ando pensando tanto! Claro, eu sempre penso rs, mas ultimamente ando refletindo mais sobre qualquer coisa, sem esquecer, claro, daqueles assuntos que sempre nos rodeiam. Cada um tem o seu, e o meu está sendo o medo. As possibilidades e talvez o amor. E a negligência da minha parte com as coisas que eu gosto, tipo meu quarto, meu italiano e meu blog. Esse papo de negligência (não lembro se tirei isso do rascunho) já ficou clichê demais pra mim, por isso vou parar por aqui. 

Só acho que ando pensando mais por falta do que fazer. Quer dizer, mês passado quando minha vida se resumia a provas, trabalhos e a vida de quem sempre protela tudo, não sobrava muito tempo pra pensar tanto. Não tinha tempo o suficiente nem pra sonhar enquanto dormia, quem dirá pensar demais. 
Voltei à velha fase de ouvir Demi Lovato incansavelmente, imaginar demais e desejar que as coisas aconteçam sem que eu precise me esforçar. Acho que sempre vou ter idas e vindas dessa "fase" na minha vida. 

Bom, o que vocês talvez possam tirar proveito de tudo isso é saber que uma mente desocupada é um alvo fácil pra reflexão, seja ela boa ou ruim. Quando finalmente esvaziamos nossas mentes, encontramos tudo aquilo que julgamos já conhecer muito bem: nós mesmos. Somos tão complexos que, se fomos querer entender cada vontade e cada ato, vamos nos perder num enorme emaranhado de pensamentos. Esse emaranhado geralmente não resulta em grandes coisas, eu por exemplo, se não escrevo, acabo esquecendo tudo com o tempo. Vai ver por isso as pessoas se ocupam tanto. Reclamam que não têm tempo pra nada, e na realidade até gostam disso. Tem medo de encarar a si mesmas. A última coisa que uma mente ocupada pensa é entender a si mesma. Então, talvez se ocupar seja mais fácil do que se entender.

6 comentários:

Marcella Costa disse...

Adorei seu Blog muito lindo *--*
Seguindo aki
Gostaria de retribuir?
http://www.garotacomestilo1.blogspot.com.br/

Marcella Costa disse...

Adorei seu Blog muito lindo *--*
Seguindo aki
Gostaria de retribuir?
http://www.garotacomestilo1.blogspot.com.br/

Gabih Borges disse...

Bom se você postar alguns dos textos pode ter certeza de que vou ler,adoro ler textos "caseiros"
Estou na mesma que você,mês passado minha cabeça só tinha lugar para as provas agora que acabaram,me pego cheia de ideias,pensamentos..
Ameii o blog!Já estou seguindo..
http://gabi-modaevoce.blogspot.com.br/

Giulia Pessoz disse...

OMG! Amei o post!!
Ainda bem que voltou o/
Escrever faz muito bem, desabafando principalmente! Nós tiramos um peso do ombro.

Beijo
Batom de Framboesa

Ana Carolina Oliveira disse...

Só por esse textinho já deu pra perceber que você escreve super bem! Você podia sim postar os seus textos aqui (:

Beijinhos, Garota Inocente

Ammy Francavilla disse...

O Texto é seu? O.o
Caramba, escreve super bem
vou voltar sempre pra ler mais.

Grande bijo

www.caketrend.blogspot.com